PROGRAMA de ACÇÃO

1. VECTOR EXTERNO

1.1. Fomentar um relacionamento privilegiado com a Ordem dos Engenheiros (OE), em particular com a Direcção da Região Sul, na sequência do espírito que caracterizou a actuação do anterior Núcleo de Bridge daquela Associação. Desenvolver todos os esforços para conseguir, no mais curto prazo de tempo, a celebração do protocolo a que se refere o Artº 4º dos Estatutos do CBE.

1.2. Fomentar o relacionamento com as Escolas Superiores de Engenharia e respectivas associações de estudantes, tendo em vista o ensino e o fomento da prática do bridge desportivo.

1.3. Contribuir para a consolidação e desenvolvimento do novo modelo federativo, em conformidade com os Estatutos da Federação Portuguesa de Bridge (FPB) em vigor desde 1 de Janeiro de 2004.

1.4. Fomentar um relacionamento de colaboração activa com todos os clubes de bridge e restantes agentes desportivos da estrutura da FPB.

1.5. Contribuir para a criação da Comissão Regional de Lisboa da FPB, em colaboração com os restantes clubes do distrito de Lisboa.

1.6. Participar activamente em toda actividade federativa, nomeadamente nas Assembleias Gerais da FPB.

2. VECTOR INTERNO

2.1. Desenvolver uma actividade desportiva no mínimo equivalente à até agora realizada pelo Núcleo de Bridge da OE, elevando os seis torneios anuais à categoria de "festival", para fins de homologação federativa.

2.2. Manter um estreito contacto com todos os membros do CBE, difundindo toda a actividade do clube, assim como toda a informação recebida da FPB, nomeadamente com recurso à internet.

2.3. Estabelecer o valor da quota anual de membro do CBE em doze euros.

2.4. Atribuir aos membros do clube a regalia de um desconto de um euro no valor a pagar pela participação nos torneios do CBE.

2.5. Estabelecer uma fórmula, preferencialmente de índole desportiva, para apurar os representantes do CBE nas competições oficiais que só admitam um número limitado de participantes por clube.

2.6. Apresentar à FPB candidatura à organização de, pelo menos, um prova federativa em cada época.

2.7. Promover a realização de cursos de iniciação e aperfeiçoamento do bridge de competição, em particular junto dos membros do CBE, da OE e dos estudantes de Engenharia.

2.8. Desenvolver acções de angariação de patrocínios, tanto em espécie como em natureza, para dinamização quer das competições quer das acções de ensino e fomento.